Campeonatos Esportivos

200 Milhas RBC Racing F400

200 Milhas RBC Racing F400

200 MILHAS RBC RACING

F 400

II EDIÇÃO 2016

 REGULAMENTO DESPORTIVO – CAPÍTULO I

 

1 – ORGANIZAÇÃO:

1.1– O kartódromo RBC Racing e FMA Federação Mineira de Automobilismo farão realizar a disputa aberta denominada 200 MILHAS RBC.

-PROMOÇÃO/ORGANIZAÇÃO: KARTÓDROMO RBC RACING

-SUPERVISÃO:  FMA – FEDERAÇÃO MINEIRA DE AUTOMIBILISMO

-SINALIZAÇÃO/CRONOMETRAGEM: KARTÓDROMO RBC RACING

-EXTENSÃO E SENTIDO DA PISTA: 1200 METROS SENTIDO HORÁRIO.

2 – CALENDÁRIO:

2.1 – A prova será disputada em etapa única dia 10/Dezembro/2016

2.2 – SORTEIOS DE MOTOR E PNEUS – 09h30min a 10h30min.

2.3 – TREINO LIVRE – 11h30min. a 12h15min.

2.4 – BRIEFING / SORTEIO DO GRID – 12h30min a 12h55min.

2.5 – ABASTECIMENTO – 13h00min a 13h25min.

2.6 – CORRIDA – (Inicio –     13h30min) –  (Término – 18h30min mais uma volta).

2.7 – PREMIAÇÃO: 19h00min.

3 – CATEGORIA:

3.1 – Categoria única Fórmula 400, aberta a pilotos das categorias: PJK, PK, PGK, PSK B, PSK A e PKI.

4 – INSCRIÇÕES E CONDIÇÕES DOS MOTORES:

4.1 – As inscrições deverão ser efetuadas na secretaria do Kartódromo RBC Racing até o dia 21 de Novembro de 2016. Os pilotos deverão atender aos seguintes requisitos:

4.2 – Apresentação da Cédula Desportiva CBA 2016.

4.3 – Preenchimento e assinatura da ficha de inscrição do piloto ou responsável quando menor.

4.4 – Pagamento da taxa de R$ 2.950,00 (dois mil novecentos e cinquenta reais) por equipe até o dia 21de Novembro de 2016. Após esta data o valor da inscrição será de R$ 3.350,00 (três mil trezentos e cinqüenta reais).

4.5 – As equipes serão formadas por no mínimo 2 pilotos e no máximo 5 pilotos.

4.6 – O número mínimo de inscrições deverá ser de 15 equipes, caso não atinja este número até dia 21 de Novembro de 2016, a organização se reserva o direito de cancelar a prova devolvendo o valor das inscrições descontando os encargos e impostos que incidir sobre cartões de crédito.

4.7 – Estão incluídos no valor da inscrição: Motor com embreagem e descarga, combustível e 1 jogo de pneus marca MG com selo vermelho.

4.8 – Um mesmo piloto poderá se inscrever e participar em até 2 equipes.

4.9 – Terá preferência na escolha do número para o kart a equipe que se inscrever primeiro.

5CARACTERISTICA DO MOTOR E ACESSÓRIOS:

5.1 – Os motores serão fornecidos pela RBC a título de locação e sorteados dia 10/12/2016 de 09h30min até 10h30min.

5.2 – Os motores da marca Honda GX 390, a gasolina, fornecido e sorteado pela RBC Preparação de Motores, devidamente lacrados serão entregues com curva, escapamento, carburador, filtros de ar turbo e de chuva, vela e embreagem.

5.3 – O rompimento de qualquer lacre do motor acarretará na desclassificação da equipe.

5.4 – A responsabilidade pelo motor, desde o momento em que recebê-lo da RBC Preparação de Motores até o momento da sua devolução será do competidor ou de seu representante legal.

6  – INDUMENTÁRIA:

6.1 – Durante todas as atividades de pista, o piloto deverá estar utilizando:

6.2 – Capacete com proteção do queixo e construção integral, munido de viseira em boas condições de transparência, e homologado pelo INMETRO ou órgão equivalente;

6.3 – Macacão de mangas compridas em tecido grosso ou couro, apropriados para competições de kart, no qual deverão constar de forma visível, na parte frontal, o nome, o tipo sanguíneo e o fator RH do piloto;

6.4 – Luvas completamente fechadas, não podendo apresentar furos ou rasgos que venham a deixar expostos as palmas e dedos das mãos;

6.5 – Protetor de pescoço aconselhável.

6.6 – Sapatilha de competição ou tênis de cano alto.

7 – BRIEFING:

7.1 – Deverá participar do briefing apenas um representante de cada equipe.

9CORRIDA:

9.1 – A corrida terá a duração de 5 (cinco) horas mais uma volta.

10GRID DE LARGADA:

10.1 – O grid de largada será montado através de sorteio durante o briefing e será no estilo Le Mans.

10.2 – Os karts deverão ficar ligados em 45º e um integrante da equipe deverá ficar atrás do kart durante a largada, neste momento o kart não poderá ser empurrado.

10.3 – Fica a critério da equipe quanto ao piloto que assumirá a condução do kart na largada.

10.4 – O kart que necessitar de manutenção no grid de largada deverá ser recolhido aos boxes e, após a manutenção deverá aguardar a largada no parque fechado e sair quando o ultimo kart do pelotão passar.

11 EM CASO DE CHUVA:

11.1 – Se a corrida iniciar sob chuva, todos os karts deverão iniciar a corrida utilizando o filtro de chuva fornecido pela RBC.

11.2 – Em caso de chuva no decorrer da corrida, a direção de prova sinalizará com bandeira de Pista Escorregadia.

11.3 – A partir do momento em que a bandeira de Pista Escorregadia for apresentada pela direção de prova, todos os pilotos deverão providenciar a troca do filtro de ar turbo pelo de chuva.

11.4 – A troca poderá ser feita a qualquer momento após a apresentação da bandeira, porém, ao final da corrida o kart que não estiver com o filtro de chuva acoplado em seu motor estará automaticamente desclassificada, mesmo que tenha parado de chover.

11.5 – A troca de pneus de chuva fica a critério das equipes.

12 – MANUTENÇÃO NA PISTA:

12.1 – Não será permitido fazer manutenção do kart na pista.

12.2 – A manutenção somente poderá ser feita nos boxes.

12.3 – Somente poderão permanecer no parque fechado mecânicos com jalecos fornecidos pela organização.

13TROCA DE MOTOR:

13.1 – Na primeira troca, a equipe sofrerá penalidade de acréscimo de 30 segundos em seu tempo ao final da prova.

13.2 – Na segunda troca, a equipe sofrerá penalidade de perda de duas voltas ao final da prova.

13.3 – A equipe não sofrerá penalidade na troca do motor somente se houver quebra que impossibilite o reparo no local.

 

14 – QUEBRA NA PISTA:

14.1 – Em caso de quebra, acidente, pane seca de combustível ou qualquer outro motivo que impeça o piloto de trazer por meios próprios o kart para o box, o chefe de sua equipe deverá comunicar o fato ao diretor de prova que, em comum acordo com os comissários desportivos adotará as medidas necessárias para a remoção do kart avariado da pista.

14.2 – Após autorização da direção de prova, o kart deverá ser conduzido aos boxes empurrado ou carregado pelos integrantes da equipe, de forma segura sem acarretar riscos aos demais.

14.3 – O kart deverá ser pesado juntamente com o piloto que o conduzia no momento do da quebra.

 

15SENSORES DE CRONOMETRAGEM:

15.1 – Os sensores serão fornecidos pelo kartódromo.

15.2 – Os sensores são de propriedade da cronometragem, sendo obrigatória a sua devolução após a corrida.

15.3 – A equipe que não devolver o sensor na situação acima terá que ressarcir a cronometragem o valor de R$ 700,00 (setecentos reais).

16 – PARADAS OBRIGATÓRIAS:

16.1 – Todas as equipes deverão fazer no mínimo 4 (quatro) paradas obrigatórias, sendo 1 (uma) delas com no mínimo 10 minutos e 3 (tres) com no mínimo 5 (cinco) minutos.

16.2 – As paradas poderão ser feitas a qualquer momento da corrida.

16.3 – O piloto deverá conduzir seu kart até a balança que será colocada após o túnel que da acesso aos boxes, em baixa velocidade, desligar o motor, pesar o conjunto, assinar a súmula e conduzir o kart desligado ao box ou parque fechado. O tanque para abastecimento ficará no parque fechado.

16.4 – Ao final da corrida, todas as equipes terão que ter assinado a súmula no mínimo 4 (quatro) vezes.

16.5 – Em todas as paradas o peso do conjunto piloto/kart será conferido.

16.6 – Um mesmo piloto não poderá estar na condução do kart mais que duas vezes em sequencia.

16.7 – Ao final da corrida a equipe que não tiver feito todas as paradas obrigatórias será considerada desclassificada.

17 – ABASTECIMENTO:

17.1 – O abastecimento será feito pela organização.

17.2 – A equipe que se recusar a reabastecer seu kart, mesmo assim, terá que obedecer a fila de abastecimento.

17.3 – A organização fornecerá no máximo 5 litros por cada parada obrigatória.

17.4 – Para o reabastecimento, o tanque somente poderá ser aberto no Parque Fechado pela organização e, fechado pelo piloto que irá conduzir o kart naquele momento.

17.5 – No abastecimento e após cada reabastecimento, o tanque de combustível será lacrado.

17.6 – O kart que se apresentar para o reabastecimento com o lacre do tanque de combustível rompido sofrerá penalização com Time Penalty.

17.7 – Durante o abastecimento/reabastecimento, o motor do kart deverá estar desligado e o piloto do lado de fora do kart.

 

18 – PARALISAÇÃO DA PROVA:

18.1 – Em caso de paralisação da prova, o Box estará fechado para entrada de kart e, os karts serão posicionados na reta principal em fila indiana, não sendo permitido fazer manutenção nem reabastecimento.

18.2 – Durante o tempo de neutralização da prova, o tempo continuará sendo contado e não será acrescentado ao seu final.

18.3 – Se a prova for reiniciada, a formação do grid será baseada na volta anterior a paralisação.

18.4 – Se não houver condições de reiniciar, mesmo que não tenha sido completado 75% do tempo previsto para a prova, caso o motivo da interrupção seja superior à uma hora, a mesma será encerrada.

18.5 – Não caberá recurso contra a decisão de interrupção ou encerramento da prova.

19PENALIZAÇÕES:

19.1 – O kart que parar na pista por falta de combustível poderá usar a parada para cumprir a parada obrigatória de 5 minutos e, após voltar á pista deverá ser punido com um Time Penalty de 1 minuto.

19.2 – Qualquer atitude antidesportiva por parte de qualquer membro da equipe dentro ou fora da pista, a equipe será punida com Time Penalty de 1 minuto.

19.3 – O piloto que for flagrado ingerindo bebida alcoólica antes ou durante a corrida estará proibido de participar do evento.

19.4 – Caso fique evidenciado pela direção de prova que um kart esteja auxiliando outro kart na pista (empurrando), as duas equipes serão punidas com Time Penalty de 1 minuto.

19.5 – Falta de pesos:

           Até 5 kilos – punição com Time Penalty 1 minuto.

           De 5 até 10 kilos – punição com Time Penalty 2 minutos.

           Acima de 10 kilos – Desclassificação da prova.

19.6 – A equipe do piloto que estiver na condução do kart em até três paradas consecutivas ou mais sofrera punição com Time Penalty de 1 minuto.

19.7 – Se houver qualquer rompimento nos lacres dos motores, a equipe estará automaticamente desclassificada.

 

20 – DO TIME PENALTY

20.1 – Time Penalty – O piloto deverá parar o kart em local determinado pelo comissário. O tempo será contado a partir do momento em que o kart parar no local indicado. Será liberado após autorização do comissário.

20.2 – Durante o cumprimento do Time Penalty, os karts não poderão ter qualquer tipo de manutenção.

21  – CLASSIFICAÇÃO FINAL E PREMIAÇÃO:

21.1 – Classificação: Será declarada campeã das “200 MILHAS RBC”, a equipe que ao completar às 5 (cinco) horas de corrida mais uma volta, cruzar a linha de chegada em 1º lugar.

22 – PREMIAÇÃO:

22.1 – Troféus para as 3 equipes mais bem colocadas.

22.2UM MOTOR HONDA GX 390 NA CAIXA PARA A EQUIPE CAMPEÃ.

23 – CASOS OMISSOS:

23.1 – Os casos omissos serão analisados, julgados e decididos pelos Comissários Desportivos.

REGULAMENTO TÉCNICO – CAPÍTULO II

 

24 – GENERALIDADES:

24.1 – Pneus: Os pneus deverão ser da marca MG com selo vermelho adquirido junto ao kartódromo.

Todas as equipes poderão deixar com a comissão técnica 1 (um) pneu traseiro e 1 (um) dianteiro da marca MG com selo vermelho novo ou usado para uma eventual troca durante a corrida.

Em caso de chuva, as equipes poderão utilizar pneus adequados para chuva novos ou usados da marca MG.

Todos os pneus deverão ser lacrados pela comissão da prova.

Os pneus serão entregue ás equipes juntamente com os motores.

As equipes deverão iniciar a corrida com os pneus novos fornecidos pela organização.

 

24.2 – Combustível: O combustível a ser utilizado será fornecido pela organização e já está incluindo no valor da taxa de inscrição.

24.3 – Chassis – de propriedade da equipe, exclusivamente homologado, vistoriado e aprovado pelo comissário técnico.

24.4 – Peso – O peso do conjunto piloto/kart deverá ser de no mínimo 188 kg.

24.5 – Coroa – Deverão ser de até 41 dentes.

24.6 – Escapamento – Homologado 2013 marca spinery cuja medida deverá ser de 660,0mm, com tolerância de 5,00mm para mais e de 10 mm para menos.

Vespasiano, 04 de Setembro de 2016.